As 10 profissões que são mais estressantes, veja se a sua está na lista

Depois de listar as 10 profissões que trazem mais felicidade (link na imagem abaixo), o site de empregos CareerCast coloca, agora, na berlinda as carreiras com os piores índices de estresse.
profissao_felicidade_200x150
Para montar o ranking, o site avaliou 200 profissões diferentes nos Estados Unidos. Entre os critérios estavam condições do ambiente de rabalho, grau de competitividade e riscos no trabalho, além de salário e potencial de crescimento na carreira.
De acordo com um estudo recente da Associação de Psicologia Americana, 70% dos profissionais apontam seus empregos como a principal causa para sintomas de estresse. size_590_post-it-estressado
No Brasil, o cenário não é diferente de acordo com o a Exame.com, veja a lista abaixo e veja se a sua profissão está na lista:
1. Pilotos de aviões comerciais
Por mais seguro que seja o transporte aéreo (visão esta das companhias do aéreas) os pilotos de avião sentem na pele (e na mente) o peso da responsabilidade de conduzir as vidas de centenas de pessoas céus afora.
size_590_piloto-aviao-2
No topo do ranking, os pilotos comerciais apresentaram um nível de estresse de 59.53. Além dos cuidados com a segurança dos passageiros, eles sempre têm de estar dentro dos horários de vôo estabelecidos, além de trabalhar por várias horas seguidas.
No Brasil, as companhias aéreas começam a sofrer com a falta de profissionais bem qualificados no setor. Para pleitear uma oportunidade em companhias como TAM e Gol, os pilotos precisam contabilizar mais de 1.500 horas de voo. A licença para piloto comercial sai por 35 mil reais, mas o valor das despesas com formação acadêmica e profissionalizante pode dobrar esse valor.
Os salários podem chegar a 16 mil reais.
2. Relações públicas
Ser a ponte entre as empresas e o público em geral não é tarefa fácil. Resultado? A carreira de Relações Públicas conquistou a segunda posição do ranking com nível de stress em 47,6.
“Trabalhamos sempre sob pressão. O relações sempre corre na frente para cuidar da imagem da empresa”, afirma Maria Amélia Cruz, presidente da Confederação Nacional de Relações Públicas. “Não tem essa de trabalhar apenas nos dias úteis ou em horários convencionais”.
size_590_executivo-pensando-600
A carreira, segundo a especialista, vive uma fase favorável no Brasil. O problema, no entanto, é o reconhecimento pelas empresas. “Raramente, há anúncios voltados especificamente para relações públicas. O mercado está muito competitivo”, diz.
Nos Estados Unidos, segundo dados da pesquisa, um profissional de relações públicas pode trabalhar em média 9 horas por dia. “Mas não tem essa de trabalhar apenas nos dias úteis ou em horários convencionais”, afirma Maria Amélia.
Os salários para profissionais com mais experiência podem ultrapassar os 10 mil reais.
3. Executivo sênior
Chegar no topo do escalão é o objetivo de quase todo profissional que trabalha em grandes empresas. No entanto, a pesquisa mostra que maior status profissional e salarial é diretamente proporcional aos níveis de estresse.
Com jornadas que podem superar as 11 horas por dia, os alto executivos apresentaram níveis de estresse de 47.41, segundo a pesquisa. A pressão por resultados, a responsabilidade de gerir e conhecer em profundidade detalhes de vários departamentos contribuem para o cenário.
size_590_homem-escritorio-notebook-janela
No Brasil, de acordo com especialistas, a realidade pode ser mais alarmante. “No dia-a-dia, o executivo precisa driblar uma série de questões políticas ou de infraestrutura que impactam o ciclo produtivo, sem contar que o custo Brasil é muito alto”, afirma Davi Braga, gerente de negócios da Dasein.
Isso significa que, em solo brasileiro, o tamanho do abacaxi que cada executivo tem que descascar é grande – fato que exige profissionais mais experientes e com uma senioridade elevada.
Por conta disso, segundo uma pesquisa recente da consultoria Dasein, em 2010, os executivos que trabalham em São Paulo receberam salários maiores do que profissionais que têm o mesmo cargo em Nova York. De acordo com o estudo, um diretor de uma empresa em São Paulo teve, em 2010, remuneração anual média de 243 mil dólares.
4. Fotojornalista
Estar em lugares inóspitos e brigar por espaço para conseguir os melhores enquadramentos. A combinação de fatores que tornam a rotina de um fotojornalista estressante é até óbvia.
size_590_fotojornalista-libia
Some-se a isso salários nem tão atraentes, horários estranhos e muita pressão. Pronto, terá como resultado um nível de estresse de 47.09.
No Rio de Janeiro, fotojornalistas freelancers recebem cerca de 840 reais por foto publicada em capa de revista.
5. Repórter
De dentro de um estúdio, redação ou direto do local dos acontecimentos, o repórter deve ser o primeiro a levar o fato do momento para o público. O profissional que trabalha na busca pelas notícias em tempo real vive sob pressão.
size_590_reporter-mulher
Os prazos de entrega apertados, a constante procura pelo inédito, longas horas de trabalho e, muitas vezes, a exposição a situações de perigo faz com que o jornalista atinja o nível de estresse de 43,56.
O repórter no estado de São Paulo recebe a partir de 1,9 mil por cinco horas de trabalho, de acordo com a Federação Nacional de Jornalistas (Fenaj). Profissionais com mais experiência ou com mais exposição em telejornais, no entanto, podem ganhar até 200 mil reais em salário e benefícios.
6. Executivo de contas
O profissional que traduz os desejos do cliente à área de criação da agência de publicidade vive sob pressão. É o chamado executivo de contas ou “atendimento” que fica responsável por fazer a relação entre as duas pontas ser satisfatória.
size_590_Executivo-fazendo-malabaris
Fazer esse meio de campo pode ser estressante e exigir dedicação de várias horas de trabalho por dia. Segundo o estudo, um executivo de contas trabalha, em média, 9, 5 horas por dia e atinge até 41,05 pontos em nível de estresse.
“A rotina é estressante porque geralmente o profissional deve cuidar de várias contas ao mesmo tempo e dar atenção personalizada para cada cliente”, diz Marcelo D’Emídio, chefe do departamento de marketing da graduação da ESPM-SP.
O executivo de contas enfrenta ainda um mercado “extremamente competitivo”, conta D’Emídio, “tendo que estabelecer estratégias para resultados positivos e de alguma forma fidelizar a empresa-cliente para que ela não mude de agência”.
7. Arquiteto
Com nível de estresse de 39,93, os arquitetos estão na sétima posição do ranking do CareerCast.
size_590_materiais-arquitetura
Mas as pressões, segundo o arquiteto Marcílio Barotti, não estão ligadas ao processo de elaboração do projeto. “O problema são os entornos, a burocracia para aprová-lo junto à prefeitura, as reclamações dos vizinhos e preocupações dos clientes”, diz.
Ele, que trabalha 12 horas todos os dias, estima que, em média, um arquiteto com experiência e negócio estabelecido receba em torno de 20 mil reais por mês.
8. Corretor de Valores
Um telefone em cada mão e sempre de olho na movimentação de ações nas bolsas de valores em todo o mundo. O corretor de valores no Brasil não corresponde à a imagem que se vê nos filmes, de gritaria com a variação de humor dos mercados, que é mais comum em bolsas no exterior.
size_590_oscilacao-na-bolsa
Mesmo assim, a profissão exige jogo de cintura para sobreviver às pressões de clientes investidores e às alterações rápidas e, muitas vezes, abruptas, do mercado de ações.
O corretor de valores é responsável pela compra e venda de ações, ou outro tipos de título, para investidores de acordo com as tendências do mercado e procurando atingir o melhor resultado.
Com essa missão, o profissional que trabalha, em média, 8 horas por dia pode atingir o nível de estresse de até 39,7.
9. Técnico de emergência médica
Os profissional da área de saúde que faz o primeiro atendimento emergencial são os responsáveis por manter vivo o paciente até a chegada ao hospital. O socorro pré-hospitalar é geralmente feito por técnicos de emergência médica em diversos níveis.
size_590_samu-medicos-ambulancia
Paramédicos e socorristas que cumprem essa função trabalham longas horas sob pressão, muitas vezes em turnos noturnos de atendimento e plantões de 24 horas.
Sem rotina precisa, os técnicos de emergência médica podem atingir o nível de estresse de 39,68.
10. Corretor de imóveis
A crise financeira americana (que teve seu estopim no mercado imobiliário) pode ter ajudado a colocar os corretores entre as piores profissões em termos de estresse.
size_590_parque_cidade_jardim_590
No Brasil, de acordo com Carlos Kapudjian, diretor de Vendas da Lopes, o cenário é diferente. Otimista, ele prefere descrever a rotina de trabalho dos corretores de imóveis no país como agitada.
E os motivos para isso são positivos. Impulsionado pelas facilidades de crédito, aumento da renda e bônus demográfico, o mercado imobiliário brasileiro está a todo vapor.
"O corretor precisa falar com pessoas todos os dias, conhecer novos empreendimentos, cultivar a carteira de clientes que possui, além de estar sempre com o astral bom", afirma o especialista. O resultado da combinação desses fatores podem ser jornadas de trabalho de até 12 horas por dia - mas com direito a uma maior autonomia na hora de escolher sua grade de trabalho.
Para compensar, os rendimentos mensais podem extrapolar os 30 mil reais para profissionais mais experientes. "É uma carreira que não tem limite de ganho. O salário é 100% variável, por isso, é muito competitivo". Mas, na opinião dele, isso não implica, necessariamente, em uma rotina negativa em termos de estresse.


Fizemos um post específico sobre aumento de produtividade, algo que pode colocar ou tirar a sua profissão desta lista. Dé uma olhada na metodologia ZTD, veja este post, Aumentando a sua produtividade com ZTD – Zen to Done e veja o vídeo abaixo.

Após a leitura você concorda com esta lista? E a sua profissão está nesta lista? Ou a sua profissão está na lista de profissões que trazem mais felicidades?

Este post é uma adaptação do Exame.com.

15 comentários:

  1. FICOU LOUCO DIRETOR DE VENDAS COMO PODE INFORMAR QUE OS CORRETORES GANHAM $30.000,00 POR BAIXO ATÉ 100% ENQUANTO TUDO ESTÁ SAINDO DO CONTROLE.

    ResponderExcluir
  2. Mano,piloto comercial ganha 16 mil?aki!!!!eu trabalho na fly emirates.ela me paga 70 Mil por mes.vale a pena trabalhar horas por mes pra ganha isso!!!

    ResponderExcluir
  3. O trabalho como piloto tem vezes, que sao
    estressante mesmo!! No inicio da carreira
    voar era tudo, hoje rezo para que nao voo

    Mas tirando essas baboseiras e uma profisao que
    nao arrependo de ter feito.

    ResponderExcluir
  4. tdo isso é fichinha, vem e tenta ser policial militar nesse pais

    ResponderExcluir
  5. Sobre executivo de contas ou executivo de negócios vejo uma grande possibilidade de ascenção na carreira, chegando à ser "astronômicamente" mais rápido do que quaisquer otra área à ser dedicada devido ao nível de conhecimento de todos os setores da empresa e ser o link para o "board" atingir os objetivos, porém a energia gasta de muita dedicação e baixos salarios que podem perpetuar por 5, 6 ou até 7 anos, fazem muitos profissionais abandonarem esta carreira e escolher outra que seja progressiva. Eu por exemplo trabalho 12hrs diárias com altos escalões e acreditem, meu salário é muito baixo.

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Gerente, mal informado...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A pesquisa não foi feito por mim, e sim por um instituto. Se você não concorda eu entendo, mas que a pesquisa existe e deu este resultado não podemos negar.

      Excluir
  8. Estressante mesmo é ser professor, pois além do desgaste do contato com alunos com pouco interesse e pouco respeito, os salários são péssimos, a não ser que se consigam escolas tipo Colégio Bandeirantes, Etapa, Santa Cruz. Assim mesmo, trabalha-se em jornada excessiva, levando ainda serviço para os fins de semana em casa. Não recomendo essa profissão pra ninguém, a não ser quem se identifica com sacerdócio.

    ResponderExcluir
  9. Useful information. Fortunatе mе Ι found уouг ωebsitе accidеntаllу,
    and I am shocκеԁ ωhy thіѕ accidеnt diԁ not happened in aԁvancе!
    I bοokmaгκeԁ it.

    Visit mу wеb blog Creation site internet

    ResponderExcluir
  10. Thanks for sharіng yоur іnfo.
    I reallу appreciate your effοrts
    and I will be waiting for your next post thanκ yοu once again.


    Here іs my website MAKING A WEBSiTE

    ResponderExcluir
  11. Usеful info. Fοrtunatе me I diѕcoνerеd yοur website by сhance,
    anԁ I am shocked why this twist of fatе ԁіd not came abоut in advance!
    ӏ bοokmarked it.

    Нeгe iѕ mу homepage http://www.communitywalk.com/

    ResponderExcluir
  12. Pilotos comerciais ganham só 16 mil??kkkk alguns...
    co pilotos da tm por exemplo tiram de 7 a 10 por mes...ja o co piloto internacionais tira 15 mil a mais por mes...
    ja o comandante nacionais de 15 a 16 por mes...e o comandante internacional tira 35 mil por mes...tudo isso livre dos descontos...
    na aviação executiva ganha-se mais ainda...tem pilotos que chegam a tirar 40 mil no mes. Dificilmente de ve um piloto ganhando mal.
    Outro erro informado...para se formar piloto com todas a carteiras como Piloto privado, piloto comercial bi e monomotor e mais a carteira de ifr custa no total de 100 mil reais. Sem contar que se desembolsa essa grana ainda pra sair com 150 horas, ou seja ser um nada. pq as companhias exigem 1200 horas no minino.
    esqueci de mencionar os pilotos agricolas...que tiram em média de 160 a 260 mil por ano. o curso custa 30 mil fora as carteiras que o profissional ja deve ter como pp e pc...mas vale a pena!!!

    ResponderExcluir
  13. CADÊ O ADVOGADO?????

    ResponderExcluir
  14. Realmente, Sou corretor de imoveis e o stress é rotina, mas 30 mil so equivale ás capitais, os Fichinhas como sao chamados os menos tiram 3.000 mensal.

    ResponderExcluir